Profissionalização garante longevidade dos negócios rurais

O bom momento do agronegócio exige que as empresas rurais invistam na profissionalização da gestão

O bom momento do agronegócio exige que as empresas rurais invistam na profissionalização da gestão. A eficiência dos produtores é comprovada pelo crescimento da safra de grãos, que deve atingir 200 milhões toneladas no Brasil. Porém, em um momento de intensa concorrência, os empresários do setor precisam reforçar as competências, principalmente na administração financeira de suas propriedades.

Esse aspecto envolve organização do controle de custos, conhecimento de mercado e trabalho com fluxo de caixa. De acordo com Cilotér Iribarrem, consultor em governança e sucessão familiar rural da Safras & Cifras, não adianta apenas produzir. “O produtor não gosta muito de gestão. Prefere estar no campo, na parte tecnológica, mas assim como ele tem tecnologia para a produção, insumos e máquinas, também existe tecnologia para ele fazer a gestão financeira”, explica o consultor.

E como isso pode ser concretizado se o produtor não gosta de trabalhar com gestão econômica e financeira? A resposta: com sua esposa e seus filhos. Hoje, há oportunidade de formação e preparação dos filhos e filhas para trabalhar no negócio junto com os pais. Eles têm assumido a missão da governança do negócio, que inclui a organização e o controle financeiro da gestão. “Isso garante que o produtor tenha um bom fluxo de caixa e que não dependa só de financiamento ou do governo”, reforça Iribarrem.

O especialista afirma que não é possível fazer um negócio do tamanho da agricultura brasileira somente pela sensibilidade ou pelo “achômetro”. É fundamental ter gestão e controle. “E gestão não é só produção”, avisa. Essa profissionalização leva ao crescimento da propriedade e permite que as empresas rurais planejem novos investimentos para seguir com bons resultados por muitas gerações.

Fonte: Redação CNA

Deixe um comentário